Monster Truck Madness 2

PC/MAC

Voltamos aos meus primórdios do gaming, e àquela fase de crescimento onde nas experiências vemos aquilo que melhor queremos. Marcou-me tão pouco este jogo que só tive a sua lembrança quando estava a arrumar os meus brinquedos. No meio de muitos desgastados, outros quantos partidos e sem valor, estava um antigo Monster Truck descolorido, de airleron partido numas das suas pontas, e na parte superior um orifício de uma antena há muito desaparecida, era telecomandado este monstro.

Não me lembro como adquiri este jogo, nem como tive conhecimento dos Monster Truck, pois ainda hoje não é algo muito publicitado por bandas europeias.

Este é um jogo típico de carros, excepto os monstros que temos de conduzir. Os menus são a ligar a ignição do automóvel e o objetivo é vencermos cada uma das corridas, que escolhemos aleatoriamente. Em cada uma, seleccionamos a quantidade de carros contra os quais vamos correr, o tempo que vai estar e até, se quisermos, as características motorizadas dos mesmos. Os ambientes variam desde o urbano, rochoso (alguns pareciam-me desérticos), sempre acompanhado com relatos bastante animados daquilo que estávamos a fazer. Achava muita piada ao Zeppelin no ar, sempre à volta da pista, tudo para termos a certeza que os espectadores não perdiam o espetáculo das nossas vitórias. Em algumas pistas existiam segredos por onde podíamos cortar caminho e passar algumas posições. Estes segredos eram importantes pois sem nenhuma modificação no nosso carro, este era absolutamente banal. Ainda tenho a impressão que a velocidade máxima de todos os veículos é exatamente igual, dado que em recta e em velocidade máxima não conseguia ganhar nenhuma vantagem para nenhum dos meus concorrentes, só o kit de unhas em manobras é que contava!

Apesar das parcas recordações que me vieram à memória, três estão no topo: a introdução e o final das corridas, pois tinham filmagens reais e grandes planos dos condutores quando vencemos uma corrida; a qualidade gráfica do jogo, acima da média na altura; e uma coisa que sempre adorei em todos os jogos de corrida, a vista do cockpit. Aquele habitáculo era incrível, um carro alto e nós numa posição elevada, com manómetros e guias por todo o lado, a ver aqueles carrões que, volto a frisar, um grafismo incrível.

No entanto, fora a sua originalidade de carros Monster Truck a correr, este jogo é absolutamente banal. Estes carros são conhecidos pela sua destruição, algo que simplesmente não acontece, e para mim esvazia totalmente o conteúdo do jogo. Não quero dizer que na altura não tenha sido divertido de experimentar, e ainda hoje me lembro como o seu grafismo me impressionou. Para quem é fã deste tipo de jogo automóvel tem de experimentar este seu primórdio, garanto que não se vão arrepender!!

Um abraço a todos.

Capa
Monster Truck Madness 2
Data de Lançamento 13 de Maio de 1998
Editado por Distribuido por
Lançado em
  • Originalidade
  • Grafismo
  • Divertimento
  • Onde está a Destruição???
Armando Mateus
Escrito por: Armando Mateus

Tudo se resume a uma simples forma de estar, uma boa e velha sessão de jogos! Explicar todo um conjunto de experiências passadas com a família, os amigos e simples estranhos, nas situações mais casuais como as mais caricatas para constatar a mais óbvia conclusão: Tudo é mais que um Jogo!