JoJo’s Bizarre Adventure: Battle Tendency

JoJo’s Bizarre Adventure: Battle Tendency é a segunda parte da aventura produzida pela David Production baseada na manga com o mesmo nome escrita e ilustrada por Hirohiko Araki.
Battle Tendency estreou no fim de 2012, imediatamente após o término da parte anterior, titulada de Phantom Blood. Este facto é relevante, porque o anime aproveitou o momentum e arrancou logo com um ritmo mais acelerado e com apenas uma breve a introdução ao seu mundo sobrenatural e ao Hamon, a mística arte marcial baseada na respiração que permite aos praticantes executar feitos sobre-humanos.
Ler também: Opinião “JoJo’s Bizarre Adventure: Phantom Blood
O que mais notavelmente se mantém de Phantom Blood para Battle Tendency é a continuidade da história e o estilo do anime, que é reminiscente da arte da manga de Araki. No entanto, há várias razões que me levaram a escrever um artigo para cada parte, que tanto na Netflix como no Crunchyroll são consideradas como pertencendo à mesma temporada. A primeira é o facto de serem baseadas em arcos diferentes da manga. A segunda é terem tons bastante diferentes. Enquanto Phantom Blood me pareceu mais séria (até certo ponto) e negra, Battle Tendency parece ter um tom e energia mais capazes de captivar o público jovem e isso vê-se logo no tema de abertura. A terceira está relacionada nas duas primeiras: um novo protagonista.

Para começar, neste novo capítulo, a acção salta o “lago” e leva-nos de Inglaterra para os Estados Unidos, onde passamos a seguir as aventuras de um novo “JoJo”, Joseph Joestar, o neto de Jonathan Joestar (protagonista de Phantom Blood). Ao contrário do seu avô, que recebeu uma educação típica de cavalheiro de alta sociedade inglesa e acabou por viver a sua vida como um herói guerreiro de postura estóica a lutar contra as forças do mal, Joseph cresceu em Nova Iorque no início do século 20, está habituado à vida das ruas, tem um jeito mais descontraído e vive com as emoções mais à flor da pele. Tem tudo para ser uma personagem mais “fixe”.
Após um confronto com um vampiro, Joseph viaja para o México com a missão de resgatar um amigo de família das mãos de Nazis numa aventura que facilmente nos lembrará do Indiana Jones. No entanto, o exército alemão torna-se o menor dos seus problemas quando o herói dá de caras com um ser ancestral que, qual Bela Adormecida, acorda do seu sono milenar para ameaçar o futuro da humanidade. Na sua demanda para impedir a destruição do mundo civilizado como o conhecemos, Joseph atravessa o Atlântico e encontra Caesar Zeppeli, o neto do mentor do seu avô.
Logo desde o início, a primeira impressão entre os dois não é a melhor. Caesar guarda rancor contra a família Joestar devido às condições da morte do seu avô. Por outro lado, Joseph acha Caesar um engatatão pretensioso. No entanto, o futuro do planeta irá precisar que ambos juntem forças para vencerem os seus inimigos.
O paralelismo com Phantom Blood é gritante e as duas partes do anime rimam muito bem. Enquanto Phantom Blood se foca em dois irmãos cuja relação de rivalidade culmina num clássico conflito de “bem contra o mal”, Battle Tendency conta-nos a história de dois desconhecidos que têm que ultrapassar as diferenças por um bem maior. Serão capazes? Bem, esta parte do anime tem 17 episódios, pelo que demora um pouco mais a descobrir, mas o ritmo é agradável e as lutas são mais captivantes. Battle Tendency também dá uma amostra da tendência que as batalhas (hey-oh) de JoJo’s Bizarre Adventure viriam a continuar no futuro, com confrontos mais complexos que se começam a assemelhar mais a jogos de xadrez onde os adversários tentam prever os movimentos um do outro.
Algo que também se destaca nesta nova aventura é o facto de ser mais global e ter como cenário vários países diferentes. Não é só o facto de não ser um mais evento cataclismo que ameaça o planeta, mas só afecta Londres (como em várias temporadas do Doctor Who), mas também por ser curiosa a maneira como os diferentes ambientes são explorados e como a obra revela a paixão do seu criador por mostrar o mundo e diferentes culturas, provavelmente a partir das suas próprias experiências.
Concluindo, vale a pena ver? Sim, para quem gostou de Phantom Blood. Quem não gostou, dependendo das razões, talvez deva dar uma oportunidade. Acaba por ser bem diferente. O estilo muitas vezes leve e divertido da série é pontuado por momentos de sentimento e emoção que criam um belo contraste. Convém é não esquecer que entre violência, sangue e mais membros amputados do que me consigo lembrar, a série não é para crianças.
Capa
JoJo's Bizarre Adventure: Battle Tendency
Ano 2012 Tipo serie Episódios 17
Distribuição por ,
  • Mais captivante e energético que o antecessor.
  • Marca mudanças que afectam futuro do franchise de JoJo's Bizarre Adventure.
  • Tema de abertura.
  • Vilão semi-genérico que não tem tanto peso emocional como a relação entre os heróis.
Avatar
Escrito por: Pedro Cruz

"Spawned" em Aveiro no fim do início da década de 90, apreciador de amostras de imaginação e criatividade, artesão de coisas, mestre da fina e ancestral arte da procrastinação e... por hoje já chega. Acabo isto amanhã...